Videos

Publicado em 28 de jan de 2016. O novo boletim divulgado nesta quarta-feira (27) aponta também que 270 casos já tiveram confirmação de microcefalia, sendo que 6 com relação ao vírus Zika. Outros 462 casos notificados já foram descartados. Ao todo, 4.180 casos suspeitos de microcefalia foram registrados até 23 de janeiro.

Tecpar realiza feira de estágios para aproximar estudantes formados em curso do Centro de Inovação da Microsoft a empresas de TI

Estudantes capacitados pelo programa Students to Business, promovido pelo Centro de Inovação da Microsoft (MIC) instalado no Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), participaram, nesta terça-feira (30), de uma feira de empregos para conhecer as oportunidades de estágio em empresas patrocinadoras do programa. Ao todo, 17 vagas para contratação imediata estavam disponíveis, mas muitas outras já estão abertas para projetos futuros nestas companhias.

Sessenta alunos da área de Tecnologia da Informação (TI) participaram da capacitação, gratuita, que formou os estudantes em duas trilhas, a de Desenvolvimento de Sistemas e a de Infraestrutura de TI.

Essa é a primeira vez vez que o MIC-Tecpar desenvolve o curso do programa e o resultado, de acordo com Rogério Oliveira, gerente do Tecpar Informação e coordenador do MIC-Tecpar, foi positivo tanto dentro do instituto, ao aliar diversas competências profissionais da empresa no programa, quanto para os estudantes, que tiveram contato com uma capacitação altamente qualificada.

“O resultado foi excelente, pois envolvemos profissionais do instituto, do Tecpar Informação, do Tecpar Educação, da Incubadora Tecnológica e da Divisão de TI, para capacitar os estudantes. É muito gratificante ver o crescimento profissional desses jovens, que acreditaram no programa e hoje levam o conteúdo na bagagem em seu currículo para o mercado”, salienta.

Essa bagagem a qual Oliveira se refere é a aposta de Rafael Gorges, estudante de Engenharia da Computação da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), que realizou o programa na trilha de Infraestrutura de TI. Ele participou da feira de estágios e se diz preparado para competir por uma vaga no mercado de trabalho. “O curso foi bastante útil, porque nos ensinou ferramentas que mesmo quem atua na área não consegue aprender sozinho. Esse conteúdo vai ser muito importante para uma futura contratação, porque essa capacitação vou levar no currículo”, pontua.

Esse espírito realizador é um dos pontos procurados pelas empresas, como a Vinces IT, startup formada por oito empresas da área da Tecnologia da Informação, que tem dez vagas para contratação imediata de estagiários. Mauricio Roberto Doebeli, presidente da Vinces IT, participou da feira em busca de profissionais. “Apresentamos a nossa empresa e as vagas aos alunos porque temos necessidade de mão de obra qualificada, que vai nos ajudar a desenvolver novos projetos e produtos”, avalia.

O diretor-presidente do Tecpar, Júlio C. Felix, explica que o curso é um complemento da atuação do Tecpar em empreendedorismo tecnológico inovador, um dos pilares do instituto. “Essa parceria com a Microsoft pode formar profissionais altamente capacitados para atuar nas empresas paranaenses ou futuros empresários, que podem contar com o apoio da nossa incubadora tecnológica. É muito gratificante ajudarmos a capacitar esses jovens para o seu crescimento profissional”, analisa.

No momento da feira, os empresários apresentaram as vagas aos estudantes e realizaram cadastros do alunos, conhecendo melhor o perfil para efetuar a contratação. O Programa Microsoft Students to Business já capacitou mais de 100 mil estudantes em todo o Brasil, dos quais mais de 10 mil foram incorporados ao mercado de trabalho durante a feira de empregos.

Centro de Inovação da Microsoft no Tecpar
O Centro de Inovação da Microsoft (MIC) no Tecpar foi instalado em 2013, como parte da iniciativa global da empresa em promover o uso de tecnologia em prol da sociedade, contribuindo para o desenvolvimento de pessoas e suas habilidades, especialmente os jovens.

A novidade do MIC no Paraná, em comparação com os outros centros da empresa instalados no Brasil, é a participação das universidades estaduais. Pela parceria, ficam disponíveis opções de programas e softwares que poderão ser implantadas pelo governo nas áreas de educação, qualificação, inovação e empreendedorismo.


Johnson & Johnson, Roche, Stryker, GE Healthcare, Philips Medical Systems, Boston Scientific e Medtronic serão ouvidas hoje pela CPI das Órteses e Próteses

CPI ouve hoje empresas que vendem próteses

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Máfia das Próteses ouve, nesta tarde, representantes de diversas empresas que vendem próteses e órteses. A pedido do deputado João Carlos Bacelar (PR-BA) foram convidados representantes da Johnson & Johnson, da Roche, da Stryker, da GE Healthcare, da Philips Medical Systems, da Boston Scientific e da Medtronic.

Os deputados do PR João Carlos Bacelar (BA) e Wellington Roberto (PB) querem que as empresas apresentem uma relação de vendas de órteses e próteses realizadas por estado, entidade, procedimento e médico nos últimos 5 anos. Os parlamentares acreditam que esses dados possibilitarão a análise dos valores cobrados pelas empresas de médicos, hospitais e entes da Administração Pública possibilitando fazer um cruzamento de informações e um estudo do mercado de próteses.

Foram convidados para participar do debate:
- o diretor da Stryker do Brasil, Sandro da Costa Dian;
- gerente-geral da Johnson & Johnson do Brasil, Roberto Ferrarini;
- o diretor da GE Healthcare do Brasil, Luiz Verzegnassi;
- a representante dos Produtos Roche Maria Angela Loguercio Bouskela;
- o vice-presidente da Philips Medical Systems, Daniel Mazon;
- a representantes da Boston Scientific do Brasil Lilian Orofino; e
- o diretor da Medtronic Comercial, Oscar Porto.

A reunião será realizada no plenário 13 a partir das 14 horas.

Denúncias
As fraudes investigadas pela CPI foram denunciadas no início do ano em reportagem do programa Fantástico, da Rede Globo. Segundo o programa, a máfia das próteses foi constatada em cinco estados, onde médicos obrigam pacientes a passar por cirurgias e implantes de próteses, muitas vezes sem necessidade. Os profissionais receberiam dos fabricantes entre 15% e 50% do valor dos produtos.

Debate na quarta
Amanhã a CPI vai ouvir representantes de empresas de implantes:
- o sócio-gerente da Oscar Iskin, Miguel Iskin;
- o administrador da Strehl, Fernando Strehl;
- o representante da Medicato Produtos Médicos Daniel Borba;
- o diretor financeiro da Orthoserv, Gregório dos Santos Neto;
- o proprietário da Litormed Comércio de Produtos Médicos, Alexandre Fontele;
- o diretor financeiro da Biocath Comércio de Produtos Hospitalares, Gabriel Anselmo; e
- o diretor financeiro Tellus Rio Comércio e Importação e Exportação, Renato Augusto Guimarães de Almeida.

Os depoimentos foram pedidos pelos deputados Geraldo Resende (PMDB-MS), Dr. João (PR-RJ) e André Fufuca (PEN-MA).

A reunião será realizada partir das 14 horas, em plenário a definir.
Da Redação - ND
Agência Câmara Notícias



BIO Convention 2015 - Agradecimento e acesso às fotos do evento


Campanha de vacinação contra a gripe ultrapassa meta de 80%

Já foram vacinadas 41,9 milhões de pessoas em todo o país. A vacina é segura e considerada uma das medidas mais eficazes na prevenção de casos graves por gripe.

Balanço do Ministério da Saúde, divulgado nesta segunda-feira (29), mostra que mais de 41,9 milhões de pessoas já se vacinaram contra a gripe neste ano. O quantitativo representa 84,3% do público-alvo, formado por 49,7 milhões de pessoas consideradas com mais riscos de desenvolver complicações causadas pela doença. A campanha nacional foi iniciada no dia 04 de maio em todo o país e prorrogada pelo Ministério da Saúde no dia 05 de junho.

Mais de 60% dos estados brasileiros atingiram a meta até o momento. Ao todo, 16 estados e o Distrito Federal já vacinaram mais de 80% do público-alvo. No Amapá foram 91,5%; Espírito Santo (90,2%); Goiás (89,5%); Paraná (89,2%); Santa Catarina (89%); Distrito Federal (88,3%); Minas Gerais (87%); Rondônia (86,4%); Maranhão (86,1%); Pará (85,8%); Amazonas (85,8%); Tocantins (85,4%); Alagoas (85,1%); Rio Grande do Sul (84%); Paraíba (83,4%); Rio de Janeiro (81,9%); Mato Grosso do Sul (80,8%).

Para a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, Carla Domingues, o cumprimento da meta ratifica o sucesso da estratégia utilizada na campanha. “O Brasil está entre os países que mais ofertam vacinas gratuitamente. Nesta campanha, mais uma vez, cumprimos o papel de proteger a população”, avalia a coordenadora.  

Também foram aplicadas 7,78 milhões de doses nos grupos de pessoas com comorbidade, população privada de liberdade e trabalhadores do sistema prisional. Além do público-alvo da campanha, receberam a vacina outras 559 mil pessoas. Após o encerramento da campanha nacional, no dia 05 de junho, o Ministério da Saúde recomendou aos estados, que não atingiram a meta, a continuidade da vacinação. Ficou a cargo dos estados e municípios, no entanto, avaliar se já tinham sido esgotadas todas as possibilidades de vacinação dos grupos-alvo. A partir desta análise, os estados foram orientados a definir o novo público a ser incluído na campanha, de acordo com as necessidades locais.

Para a campanha deste ano, o Ministério da Saúde adquiriu 54 milhões de doses. Vale ressaltar que a vacina da gripe tem duração de um ano, não devendo ser devolvida. A definição dos grupos prioritários segue a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS), além de ser respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

A vacina disponibilizada pelo Ministério da Saúde em 2015 protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela OMS para este ano (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). Ela é segura e também é considerada uma das medidas mais eficazes na prevenção de complicações e casos graves de gripe. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.
Como o organismo leva, em média, de duas a três semanas para criar os anticorpos que geram proteção contra a gripe após a vacinação, o ideal é realizar a imunização antes do início do inverno. O período de maior circulação da gripe vai do final de maio até agosto.

Para receber a dose, é importante levar o cartão de vacinação e o documento de identificação. As pessoas com doenças crônicas, ou com outras condições clínicas especiais, também precisam apresentar prescrição médica, especificando o motivo da indicação da vacina. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do Sistema Único de Saúde (SUS) deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receberem a dose, sem necessidade de prescrição médica.

PREVENÇÃO – A transmissão dos vírus influenza ocorre pelo contato com secreções das vias respiratórias que são eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). À população em geral, o Ministério da Saúde orienta a adoção de cuidados simples como medida de prevenção, tais como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto e não compartilhar objetos de uso pessoal.

Em caso de síndrome gripal, a recomendação é procurar um serviço de saúde o mais rápido possível. A vacina contra a gripe não é capaz de eliminar a doença ou impedir a circulação do vírus. Por isso, as medidas de prevenção são tão importantes, particularmente durante o período de maior circulação viral, entre os meses de junho e agosto.

Também é importante lembrar que, mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe - especialmente se são integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações - devem procurar, imediatamente, o serviço médico. Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.

REAÇÕES ADVERSAS – Após a aplicação da vacina pode ocorrer, de forma rara, dor no local da injeção, eritema e enrijecimento. São manifestações consideradas comuns, cujos efeitos costumam passar em 48 horas.  A vacina é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. É importante procurar o médico para mais orientações.
Abaixo tabela com doses aplicadas por UF

Total de doses aplicadas (exceto em pessoas com comorbidades, população privada de liberdade e trabalhadores do sistema prisional)
Estado
Total – 29 DE JUNHO
População prioritária
Doses aplicadas
Cobertura vacinal (%)
RONDONIA
300.828
259.999
86,43
ACRE
170.051
115.619
67,99
AMAZONAS
857.933
735.711
85,75
RORAIMA
146.408
104.472
71,36
PARA
1.479.953
1.269.639
85,79
AMAPA
138.071
126.293
91,47
TOCANTINS
289.772
247.443
85,39
NORTE - TOTAL
3.383.016
2.859.176
84,52
MARANHAO
1.384.208
1.192.319
86,14
PIAUI
641.840
510.799
79,58
CEARA
1.762.872
1.341.490
76,1
RIO GRANDE DO NORTE
666.632
525.941
78,9
PARAIBA
850.986
709.547
83,38
PERNAMBUCO
1.882.286
1.490.654
79,19
ALAGOAS
640.516
545.020
85,09
SERGIPE
408.627
322.447
78,91
BAHIA
2.899.055
2.193.293
75,66
NORDESTE - TOTAL
11.137.022
8.831.510
79,3
MINAS GERAIS
4.099.373
3.567.398
87,02
ESPIRITO SANTO
716.729
646.226
90,16
RIO DE JANEIRO
3.619.929
2.965.505
81,92
SAO PAULO
8.964.148
7.015.658
78,26
SUDESTE - TOTAL
17.400.179
14.194.787
81,58
PARANA
2.231.301
1.991.080
89,23
SANTA CATARINA
1.261.543
1.123.095
89,03
RIO GRANDE DO SUL
2.513.420
2.112.307
84,04
SUL - TOTAL
6.006.264
5.226.482
87,02
MATO GROSSO DO SUL
577.761
466.918
80,82
MATO GROSSO
614.122
487.011
79,3
GOIAS
1.207.592
1.080.878
89,51
DISTRITO FEDERAL
498.302
439.919
88,28
CENTRO-OESTE - TOTAL
2.897.777
2.474.726
85,4
TOTAL
40.824.258
33.586.681
82,27




GRIFOLS - MS atualiza preço em USD até data da publicação do edital para definir valor em R$ 0,62 por UI

RESULTADO DE JULGAMENTO
PREGÃO ELETRÔNICO No- 28/2015
O Ministério da Saúde, por meio do Pregoeiro Oficial, torna público o resultado de julgamento do Pregão Eletrônico SRP 28/2015, cujo objeto é o Registro de Preços para futura aquisição de Fator de Coagulação, Fator VIII, Von Willebrand AE = OU MAIOR 1UI, Pó Liófilo p/Injetável, tendo sido adjudicado e homologado o item em favor da empresa estrangeira GRIFOLS S/A., representada pela empresa nacional GRIFOLS BRASIL LTDA, inscrita no CNPJ n¨ 02.513.899/0001-71, ao preço unitário em dólar de US$ 0,1956, que convertido à razão do fechamento do dólar americano do dia 05/06/2015 a R$ 3,1684 (BACEN), data anterior ao da publicação do Edital, perfaz o preço unitário em Reais de R$ 0,62. CARLOS EDUARDO DALLA CORTE


FAP ASSINA CONTRATO PARA FORNECIMENTO DE BCG AO MINISTÉRIO DA SAÚDE R$ 19.986.800,00

EXTRATO DE CONTRATO No- 94/2015 - UASG 250005
Processo: 25000035992201510. INEXIGIBILIDADE Nº 32/2015. Contratante: MINISTÉRIO DA SAÚDE -CNPJ Contratado:
33485939000142. Contratado : FUNDAÇÃO ATAULPHO DE PAIVA -Objeto: Aquisição de 14.500.000 doses de Vacina humana BCG intradérmica, 0,1mg/dose de 0,1ml, pó liófilo p/ injetável + diluente. Fundamento Legal: Lei nº 8.666/1993. Vigência: 26/06/2015 a 25/06/2016. Valor Total: R$ 19.986.800,00. Fonte: 6151000000 - 2015NE801205. Data de Assinatura: 26/06/2015.


MS COMPRA DA FUNED SOROS NO VALOR TOTAL DE R$ 17.659.049,00

EXTRATO DE CONTRATO No- 92/2015 - UASG 250005
Processo: 25000236558201466. DISPENSA Nº 513/2015. Contratante: MINISTÉRIO DA SAÚDE -CNPJ Contratado: 17503475000101. Contratado: FUNDAÇÃO EZEQUIEL DIAS -Objeto: Aquisição de 43.200 frascos-ampola de soro Antiescorpiônico, 73.000 frascos-ampola de soro Antibotrópico, 12.000 frascos-ampola de soro Antibotrópico-Crotálico, 18.000 frascos-ampola de soro Antibotrópico-Laquético, 24.000 frascos-ampola de soro Anticrotálico, 9.600 frascos-ampola de Antielapidico, 33.000 frascos-ampola de soro Antirábico e 8.500 frascos-ampola de soro Antitetânico. Fundamento Legal: Lei nº 8.666/1993. Vigência: 29/06/2015 a 28/06/2016. Valor Total: R$ 17.659.049,00. Fonte: 6151000000 - 2015NE801202. Data de Assinatura: 29/06/2015.
(SICON - 29/06/2015) 250110-00001-2015NE800074


PAUTA DA REUNIÃO DO GECIS E CRONOGRAMA PARA ANÁLISE DAS ADEQUAÇÕES E DAS PROPOSTAS DE PDPs


MS RESCINDI COM FIOCRUZ A EXECUÇÃO DE QUALIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA

Termo de Rescisão do Termo de Execução Descentralizada N° 120/2014. Convenentes: Concedente: Ministério da Saúde - CNPJ. nº. 00.530.493/0001-71. Convenente: Fundação Oswaldo Cruz - CNPJ nº. 33.781.055/0001-35. OBJETO: Fica rescindido, unilateralmente, de pleno direito, a contar da data de assinatura do presente Termo, o Termo de Execução Descentralizada n° 120/2014, firmado com o(a) Fundação Oswaldo Cruz, tendo por objeto "Qualificação dos Serviços de Hematologia e Hemoterapia", com fundamento no art. 80 da Portaria Interministerial nº 507, de 24 de novembro de 2011, do Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão. PROCESSO: 25000.211895/2014-41. Data de Assinatura: 26/06/2015 Signatário: Ana Paula Menezes, Secretária Executiva do Ministério da Saúde, C.P.F. nº. 349.985.194-68.

8º Conferência da IAS sobre Patogênes do HIV, tratamento e prevenção, em Vancouver, no Canadá

BEATRIZ GILDA JEGERHORN GRINSZTEJN, Médica;
RODRIGO DE CARVALHO MOREIRA, Pesquisador em Saúde Pública;
VALDILÉA GONÇALVES VELOSO DOS SANTOS, Pesquisadora em Saúde Pública;
SANDRA WAGNER CARDOSO, Pesquisadora Titular em Saúde Pública;
Todos do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, participarão da 8º Conferência da IAS sobre Patogênes do HIV, tratamento e prevenção, em Vancouver, no Canadá, no período de 16 a 25 de julho de 2015, inclusive trânsito



Áudios do Programa sobre os 150 Anos de Vital Brazil

  

Vacina dupla viral, que está sendo desenvolvida por Bio-Manguinhos com o apoio da Fundação Bill & Melinda Gates

MARCOS DA SILVA FREIRE e DARCY AKEMI HOKAMA, Tecnologista em Saúde Pública do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos, participarão de Reunião Internacional para discutir o processo de Pré-qualificação da vacina dupla viral, que está sendo desenvolvida por Bio-Manguinhos com o apoio da Fundação Bill & Melinda Gates, em Genebra, na Suíça, no período de 20 a 23 de julho de 2015, inclusive trânsito

JANINE ALCÂNTARA DA ROCHA da Coordenação de Assuntos Judiciais, da Procuradoria Federal junto à ANVISA, deixa a AGENCIA a pedido

Exonerar, a pedido, a servidora JANINE ALCÂNTARA DA ROCHA, matrícula SIAPE n° 2585113, do Cargo Comissionado Técnico - CCT III, de Assistente, da Coordenação de Assuntos Judiciais, da Procuradoria Federal junto à ANVISA.

LARISSA DE AZEVEDO REGO PERES é a substituta do Chefe de Posto de Vigilância Sanitária em PAF do Rio de Janeiro em substituição a DENISE GAMA TEIXEIRA MALTA DE MORAES

LARISSA DE AZEVEDO REGO PERES, matrícula SIAPE n° 1570011, para exercer o encargo de substituta do Chefe de Posto, código CCT I, do Posto de Vigilância Sanitária em PAF do Rio de Janeiro - Porto, da Coordenação de Vigilância Sanitária de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados no Estado do Rio de Janeiro, da Superintendência de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados, ficando dispensada do referido encargo a servidora DENISE GAMA TEIXEIRA MALTA DE MORAES.

Radioisótopos para uso em medicina

ISAAC JOSÉ OBADIA, Tecnologista da CNEN, Participará de reunião do Grupo de Alto Nível sobre Segurança de fornecimento de radioisótopos para uso em medicina, da Agência de Energia Nuclear, da Organização para Cooperação para o Desenvolvimento Econômico (HLG-MR/NEA/OECD), em Paris/França, no período de 05.07 a 11.07.2015.

Sugestões de mudanças na Lei de Licitações

Audiência debaterá sugestões de mudanças na Lei de Licitações
A comissão especial que analisa mudanças na Lei de Licitações (Lei 8.666/93) realiza audiência pública na quarta-feira (1º) com o presidente da Associação Sergipana dos Empresários de Obras Públicas e Privadas (Aseopp), engenheiro civil Luciano Franco Barreto. Ele apresentará um relatório com sugestões de alterações na lei.
Também foram convidados para a reunião, mas ainda não confirmaram presença, o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski; e o prefeito de Contagem (MG), Carlin Moura.
O debate foi sugerido pelos deputados Laercio Oliveira (SD-SE), Andre Moura (PSC-SE), Celso Maldaner (PMDB-SC), Helder Salomão (PT-ES), Nelson Marchezan Junior (PSDB-RS), Carlos Marun (PMDB-MS) e Mário Heringer (PDT-MG).
A audiência está marcada para as 14h30, em plenário a definir.
Da Redação – 'Agência Câmara Notícias'


CNI e US Chamber of Commerce defendem acordo de livre comércio entre Brasil e Estados Unidos

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a Câmara de Comércio dos Estados Unidos (US Chamber of Commerce) se uniram para defender junto aos governos brasileiro e americano o início da negociação de um tratado de livre comércio, de um acordo para evitar a dupla tributação dos investimentos e o fim da exigência de vistos para turistas e empresários.

As duas entidades já entregaram o documento com os três pontos à presidente Dilma Rousseff e ao presidente americano, Barack Obama. Pesquisa feita pela CNI com 43 associações setoriais da indústria, de serviços e de comércio aponta que 63% do setor produtivo brasileiro defendem que os Estados Unidos devem ser o país prioritário nas negociações comerciais para incrementar o comércio brasileiro.

A relação bilateral e as oportunidades de negócios serão discutidos por cerca de 350 empresários e representantes dos dois governos nesta terça-feira (30), em Washington, durante a Cúpula Empresarial Brasil-Estados Unidos, promovida pela CNI, pela US Chamber, pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e pela Câmara Americana de Comércio (Ancham).

O encontro, que será encerrado pela presidente Dilma Rousseff, terá a participação de representantes da CNI, de dirigentes de empresas brasileiras e americanas, do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto, e da secretária de Comércio dos Estados Unidos, Penny Pritzker.

“A missão oficial da presidente Dilma Rousseff é extremamente importante para coroar a reaproximação entre os dois países, resolver pendências existentes e dar sinalizações de avanços na relação bilateral. Os Estados Unidos são prioridade para o Brasil. O setor privado, tanto brasileiro quanto americano, quer participar ativamente da negociação de acordos para destravar o comércio e os investimentos”, afirma o diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Abijaodi.

Além da sinalização de negociações futuras para fortalecer e estreitar a relação bilateral, a CNI defende que os dois governos avancem em pontos que estão pendentes. Um exemplo é o Acordo Previdenciário, que Brasil e Estados Unidos já negociaram, mas ainda não assinaram. Ele permite somar os tempos de contribuição de profissionais que tenham trabalhado nos dois países, o que é benéfico para os trabalhadores e evita a dupla tributação da contribuição previdenciária paga pelas empresas. 

Há ainda a abertura do mercado americano para a carne bovina in natura do Brasil, ponto que já está acertado entre os dois países, e o Acordo de Céus Abertos, que foi assinado em 2011, mas não foi ratificado pelo Brasil. Esse último liberaliza o mercado de voos – frequências e rotas aéreas sem qualquer limitação – e é importante em função do elevado fluxo de turistas e de empresários.

Prioridades para o Brasil

Os Estados Unidos aparecem empatados com a União Europeia como os principais mercados para a agenda de negociações comerciais do Brasil – ambos são citados por 63% das associações setoriais ouvidas pela CNI. Os Estados Unidos são hoje o segundo maior comprador de produtos brasileiros, ficando atrás apenas da China. Apesar da queda de 7% nas exportações brasileiras como um todo em 2014, para o mercado americano elas aumentaram 10%.

Considerando apenas os produtos industrializados, os Estados Unidos são o principal mercado dos produtos brasileiros. De cada U$ 100 exportados pelo Brasil para os Estados Unidos, US$ 81 são de produtos industrializados.

Do ponto de vista de investimentos, os Estados Unidos também são o país mais importante para o setor industrial. A CNI fez uma pesquisa com 28 multinacionais brasileiras e 60% delas – o maior percentual – disseram que os Estados Unidos são o principal destino para internacionalização. É também a nação prioritária para a celebração de um acordo para evitar a dupla tributação.

O Brasil é o único país dos BRICs que não possui um acordo com os Estados Unidos para evitar a dupla tributação dos investimentos. Um levantamento feito pela CNI aponta que as empresas brasileiras pagam 30% em juros, royalties e serviços ao governo americano quando enviam suas receitas ao Brasil. Rússia, Índia, China e África do Sul pagam entre 0% e 25%