Videos

Publicado em 28 de jan de 2016. O novo boletim divulgado nesta quarta-feira (27) aponta também que 270 casos já tiveram confirmação de microcefalia, sendo que 6 com relação ao vírus Zika. Outros 462 casos notificados já foram descartados. Ao todo, 4.180 casos suspeitos de microcefalia foram registrados até 23 de janeiro.

Lafepe marca presença na reunião do GECIS


Na tarde da quinta-feira, dia 27, o presidente do Lafepe, Flávio Gouveia, participou da 13ª Reunião do Grupo Executivo Industrial da Saúde (GECIS), realizada no Centro Internacional de Convenções de Brasília (DF). Com ele, os farmacêuticos Djalma Dantas e Aíla Santana, respectivamente, diretor Comercial e a coordenadora de Pesquisa e Desenvolvimento do Lafepe.

O encontro, que contou com a participação do ministro da Saúde, Ricardo Barros, colocou em discussão, dentre outros temas, as parcerias para o desenvolvimento produtivo (PDP´s). Na ocasião, foi feita a análise da lista de produtos estratégicos para o Sistema Único de Saúde (SUS) no ano de 2017; apresentado o sistema virtual de submissão de propostas de PDP; e anunciada a revisão do prazo e recomendações para submissão de propostas de projetos de PDP.


Coordenado pelo Ministério da Saúde, o GECIS foi instituído em 2008 para promover medidas e ações concretas visando à criação e implementação do marco regulatório brasileiro, referente à estratégia de desenvolvimento do Governo Federal para a área da saúde, segundo as diretrizes das políticas nacionais de fortalecimento do complexo produtivo e de inovação em saúde, bem como propor outras medidas complementares.

Universitários da Paraíba visitam o Lafepe



Em busca de referência prática para complementação de seus aprendizados, 45 estudantes do curso de Farmácia da Faculdade Maurício de Nassau, de Campina Grande, na Paraíba, estiveram na sede do Lafepe, em Dois Irmãos, na manhã desta quinta-feira, dia 27.
Os universitários que integram as turmas do 6º, 7º e 8º períodos conheceram de perto as etapas do processo de produção dos medicamentos Lafepe; a estrutura do controle de qualidade; os galpões de armazenamento de matéria-prima, embalagens e produtos acabados; e a área de logística de armazenamento e de distribuição de produtos.

Acompanhando a programação, a professora Lidiane Pinto Correia, que ministra a disciplina Tecnologia dos Medicamentos, destacou que a visita ao laboratório pernambucano faz parte de um trabalho para associar as boas práticas de fabricação, vistas em sala de aula, de forma teórica, com a experiência prática. “A ideia é conferir, in loco, como estas medidas são aplicadas na indústria farmacêutica”, disse a mestra.


Alunos de Farmácia da FAESC visitam o Lafepe



            Alunos do 3º período do curso de Farmácia da Faculdade da Escada (FAESC) estiveram na sede do Lafepe na manhã desta quarta-feira, dia 26. Eles conheceram a Coordenadoria de Pesquisa e Desenvolvimento (COP&D), onde puderam conferir todos os procedimentos que antecedem a produção dos medicamentos. A estrutura da COP&D foi apresentada ao grupo pela coordenadora Aíla Santana.

            “A proposta é apresentar aos nossos alunos os campos exitosos na área de Farmácia”, destacou o professor Marcelo Nascimento. De acordo com ele, a partir das informações geradas com a atividade extraclasse, os estudantes farão relatório para apresentar na disciplina de Práticas Integradas de Farmácia, ministrada pelo professor Marcelo Nascimento, bem como na Jornada Pedagógica sobre Automedicação, que será realizada na FAESC, no período de 17 a 20 de maio.

Vale destacar que as visitas de estudantes de nível superior e técnico ao Lafepe são constantes. O meio acadêmico tem no laboratório pernambucano a referência para complementar suas atividades.

Fonte: Comunicação Lafepe

Campanha de vacinação imuniza colaboradores do Lafepe



Teve início na manhã desta terça-feira, dia 25, no ambulatório do Lafepe, a vacinação contra o vírus da gripe. Com o apoio de estudantes de Enfermagem do Grau Técnico, a campanha segue até quinta-feira, dia 27, sempre das 9h às 12h e das 13h às 15h.

A vacina protege contra três tipos de influenza – A (H3N2) Sazonal, A (H1N1) e B – e tem um ano de validade. Estudos do Ministério da Saúde indicam que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias, de 39% a 75% a mortalidade global e em, aproximadamente, 50% nas doenças relacionadas à influenza.
No período de 25 a 27 de abril, os colaboradores do laboratório pernambucano também irão receber vacinas contra a hepatite, o tétano e a tríplice viral – que previne o sarampo, a caxumba e a rubéola. A equipe de enfermagem do ambulatório do Lafepe aproveita para esclarecer que as pessoas residentes em Pernambuco não precisam se vacinar contra a febre amarela.



Incubadora Tecnologia do Tecpar apoia empresas inovadoras do setor de saúde


Integrante do Parque Tecnológico da Saúde do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), a Incubadora Tecnológica do Tecpar (Intec) se especializa cada vez mais em atrair empresas para desenvolver novas tecnologias na área da saúde. Das nove empresas incubadas no momento, cinco companhias são do setor da saúde – coincidentemente as últimas que ingressaram no processo de incubação.

No momento, nove empresas passam pelo programa da Intec, com o desenvolvimento de tecnologias em diversas áreas: Beetech/Beenoculus, Werker, Vuk Personal Parts, Compracam, Provena, RR Import, Forrest Brasil Tecnologia, OrangeLife e Neurocel.
Cinco delas entraram na incubadora para atuar com apoio do Parque Tecnológico da Saúde. A Neurocel, por exemplo, desenvolve pesquisa na área da neurocirurgia para produzir uma membrana biológica com a finalidade de substituir a dura-máter – também chamada de meninge – em caso de lesões por tumores ou por traumatismos. O novo produto é fruto de uma pesquisa de 25 anos.

A OrangeLife realiza Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) de novos produtos no Tecpar. Um dos primeiros em desenvolvimento no instituto é um equipamento que diagnostica em tempo real doenças infecciosas, negligenciadas e sexualmente transmissíveis.
Também na área de saúde humana, a RR Import ingressou no processo de incubação para desenvolver um monitor portátil, inédito no País, que vai ser usado quando um paciente for anestesiado. Com o equipamento, o médico tem mais segurança sobre o bloqueio de reflexos do paciente durante uma cirurgia.

A Provena, por sua vez, desenvolve no Tecpar uma prótese cardíaca menos agressiva do que as disponíveis no mercado para resolver problemas congênitos de má formação do coração. A vantagem é que o implante desta prótese é feito por endocirurgia, procedimento minimamente invasivo.

Saúde pública
Além de produtos para a saúde humana, a Forrest Brasil Tecnologia assinou o contrato de incubação no Tecpar para desenvolver uma tecnologia inédita voltada à saúde pública. O projeto de Desenvolvimento e Inovação (D&I) vai produzir e liberar na natureza machos estéreis do mosquito transmissor do Aedes aegypti para o controle natural dos insetos. Com o projeto, a tendência é que haja a queda da incidência do mosquito em até 90%, com redução significativa de registros de casos de doença como a dengue, a zika e a chikungunya.

Para o diretor-presidente do Tecpar, Júlio Felix, a incubadora é a porta de entrada do instituto para empresas tecnológicas inovadoras que querem ingressar no parque tecnológico. “A Intec aproxima essas empresas inovadoras para que, após o desenvolvimento de seus produtos e amadurecimento, possam então ganhar o mercado instaladas dentro do parque tecnológico. A chegada dessas empresas da área da saúde na incubadora mostra que empreendedores e empresários confiam no Tecpar como apoiador de suas ideias”, salienta Felix.

Intec
Empreendedores que queiram participar do programa de incubação do Tecpar podem se inscrever ao longo do ano para concorrer a uma vaga em uma das duas unidades da Intec, em Curitiba e em Jacarezinho.

São ofertadas vagas para a modalidade residente – quando a empresa fica nas dependências da Intec – e para a incubação não residente, quando o empresário não se instala na incubadora, mas conta com o apoio dos especialistas do instituto.

Podem participar do processo de incubação pessoas físicas, como universitários, pesquisadores e empreendedores que tenham um negócio inovador, ou pessoas jurídicas. Ao longo de 27 anos, a Intec já deu suporte tecnológico a mais de 100 negócios.







Lafepe promove curso básico em licitação


Reunindo colaboradores de diversas áreas do Lafepe, teve início na tarde da segunda-feira, dia 24, o “Curso Básico em Licitação”, que permite ao governo comprar e contratar serviços seguindo regras de lei dentro de um processo formal onde há a competição entre os interessados.




Realizada no Centro de Treinamento do laboratório pernambucano, a iniciativa prevê a atualização quanto aos procedimentos administrativos formais para contratação de serviços ou aquisição de produtos.



 

Ministradas por profissionais do Centro de Formação dos Servidores e Empregados Públicos do Estado de Pernambuco (Cefospe) as aulas seguem até a sexta-feira, dia 28. O “Curso Básico em Licitação” tem coordenação de Ana Ghelman e como instrutor Cirilo Veloso. A capacitação é um programa customizado pelo Cefospe para atender às necessidades de qualificação profissional dos colaboradores do Lafepe.


Expediente Lafepe no feriado de Tiradentes


            Nesta sexta-feira, dia 21, em virtude do feriado nacional de Tiradentes, não haverá expediente na sede do Lafepe, em Dois Irmãos, bem como nas 37 farmácias da rede, situadas em várias regiões do Estado. Já no sábado, dia 22, as farmácias irão abrir no horário habitual. Confira onde estão as unidades, com seus respectivos endereços e horário de funcionamento, acessando o link www.lafepe.pe.gov.br/farmacias.

Já as farmácias que funcionam no Expresso Cidadão de Peixinhos (Olinda), Cordeiro (Recife), Garanhuns e Caruaru, além da unidade instalada no Instituto de Recursos Humanos (IRH), no Derby, não funcionarão nos dias 21 e 22 de abril. Nessas unidades e na sede do laboratório pernambucano, as atividades serão retomadas na segunda-feira, dia 24 de abril.

TIRADENTES - O feriado do dia 21 de abril é uma homenagem à figura do herói nacional Joaquim José da Silva Xavier, popularmente conhecido por “Tiradentes”, uma referência ao seu ofício de dentista. No ano de 1789, uma parte da população de Minas Gerais fez uma tentativa de revolta separatista contra o domínio dos portugueses no Brasil. Tiradentes foi o maior ativista desse movimento e o único condenado à morte por enforcamento. Por este motivo, as suas ações são reconhecidas como atos heroicos que lhe garantiram o status de importante figura histórica brasileira. O nome de Tiradentes está escrito no Panteão da Pátria e da Liberdade Brasileiro – conhecido como o “Livro dos Heróis da Pátria” – desde 21 de abril de 1992.


Com informações do portal www.calendarr.com/brasil/tiradentes/.

Senado recebe debate sobre doenças raras


O Fórum Nacional de Políticas de Saúde no Brasil chega à sua nona edição. O evento, promove, no dia 4 de maio, no auditório do Interlegis, uma ampla discussão sobre as doenças raras, que já atingem cerca de 13 milhões de pessoas no Brasil

Estima-se que de 6 a 8% da população mundial sofra com alguma doença rara - de 420 a 560 milhões de pessoas. Somente no Brasil, os números chegam a 13 milhões, sendo uma prevalência de até 65 por cada 100.000 habitantes, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Atualmente, são conhecidas quase 8 mil doenças raras e quase 80% dessas são de origem genética, crônica, progressiva, degenerativa e com risco de morte, em muitos casos. A cada dia novas doenças são descobertas e a baixa incidência em pacientes dificulta o diagnóstico e encarece o tratamento. Exatamente pelas suas especificidades, com causas desconhecidas e protocolos clínicos indefinidos, o estudo e o debate acerca dessas doenças se fazem essenciais. Em Brasília, no dia 4 de maio, gestores públicos, instituições acadêmicas, iniciativa privada, terceiro setor e sociedade civil se reúnem para debater o tema no IX Fórum Nacional de Políticas de Saúde no Brasil. O evento é gratuito. As inscrições estão abertas em www.acaoresponsavel.org.br.

Para cada doença rara existente, há especialistas, medicamentos e protocolos clínicos únicos e diferenciados. Um dos principais entraves, sem dúvida, é o alto custo das terapias. O Brasil já avançou bastante, ao estabelecer políticas de saúde que possam garantir o direito à assistência integral à saúde com ações de prevenção, promoção da saúde e qualidade de vida a todos, em consonância com as Metas e Objetivos da Agenda 2030. Ainda, há três anos foi aprovada no País, a Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras. Um dos objetivos da medida foi estabelecer protocolos clínicos para essas doenças, padronizar o tratamento, aumentar a qualidade de vida, diminuir a mortalidade e também o custo das terapias.

Serviço: IX Fórum Nacional de Políticas de Saúde no Brasil - Doenças Raras
Local: Senado Federal, auditório Senador Antonio Carlos Magalhães no Interlegis,
Data: 4 de maio de 2017(quinta-feira), das 9h às 14h
Realização: Instituto Brasileiro de Ação Responsável
Coordenação: Agência de Integração à Saúde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Social do Brasil - Íntegra Brasil
Patrocínio: Sanofi e Bayer

Assessoria de imprensa
Etcetera Comunicação
Marina Figueiredo e Denise Margis

(61)3573-4992/99170-0606

A Fundação explicará o papel e a importância dos laboratórios no monitoramento da qualidade da carne


O chefe da Divisão de Vigilância Sanitária e Ambiental (Divisa), Kleber Baptista, da Fundação Ezequiel Dias (Funed), participará de uma audiência na Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais (ALMG), para debater as melhorias necessárias aos processos de fiscalização e de regulamentação dos produtos de origem animal no estado.  O evento acontece amanha, às 9h, e abordará, também, o mapeamento de lotes irregulares fornecidos pelas empresas envolvidas na operação Carne Fraca, da Polícia Federal.

Kleber explica que a Funed “apresentará o papel dos laboratórios da Divisa no monitoramento da qualidade de produtos cárneos comercializados no estado, bem como responderá aos questionamentos que os deputados venham fazer sobre o assunto”.

Assessoria de Comunicação Social

(31) 3314-4577

Qualidade das embalagens é foco de capacitação no Lafepe


Responsável pela proteção do medicamento até a sua chegada ao consumidor final, a embalagem ganha destaque na cadeia produtiva do Lafepe. Periodicamente, as equipes da Divisão de Sólidos (Disol) e da Divisão de Líquidos (Diliq) passam por programas de treinamento. A ideia é ressaltar a importância de cada colaborador na embalagem dos produtos, evitando, assim, possíveis riscos de desvios do processo.

Dentro do programa de capacitação permanente que visa aprimorar os procedimentos que dão respaldo à qualidade da marca Lafepe, a chefe da Disol, a farmacêutica Tereza Raquel, proferiu palestra na manhã desta quarta-feira, dia 19, em uma das salas de treinamento.

Em sua apresentação, destacou as normas técnicas reguladas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e adotadas nas embalagens de medicamentos sujeitos a controles especiais, como é o caso do antipsicótico Clozapina de 25mg e 100mg, recentemente internalizado pelo Lafepe, como resultado de uma Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) com o laboratório Cristália.

Vale destacar que o Lafepe se efetiva como o primeiro laboratório público a concluir todas as etapas de uma PDP. Ainda em meados deste ano, serão internalizadas outras duas PDPs referentes à Quetiapina (comprimido revestido de 25mg, 100mg e 200mg) e à Olanzapina (comprimido revestido de 5mg e 10m
Comunicação Lafepe.

Assédio sexual é tema de debate no Lafepe



 Colaboradores de várias áreas do laboratório pernambucano participaram de duas rodadas de diálogo sobre assédio sexual, nesta terça-feira (18-04), no centro de treinamento. A assistente social Ana Karla Sales, do Centro de Formação Clarice Lispector, da Prefeitura da Cidade do Recife, coordenou as discussões dos grupos.

            Em sua explanação, Ana Karla advertiu que o assédio sexual não está apenas no toque sem o consentimento do outro, mas que também é verbal e psicológico. Dentre os efeitos à saúde do assediado, ela destacou a cefaleia, a sensação de mal estar, de pressão no peito e a fadiga crônica. Também alertou que esses sintomas podem evoluir para estados de depressão, transtornos ansiosos e até tentativas de suicídio.

O Código Penal, em seu artigo 216, destaca que “constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual, prevalecendo-se o agente da sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerentes ao exercício de emprego, cargo ou função”, caracteriza-se como assédio sexual, com pena de detenção que varia entre um e dois anos, caso o crime seja comprovado.

Fonte: Comunicação Lafepe

Socorrista do Samu capacita cipeiros do Lafepe


            Na tarde da segunda-feira, dia 17, integrantes da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) e das áreas de segurança, saúde e meio ambiente do Lafepe participaram de treinamento com instruções básicas de “primeiros socorros”.

A proposta é capacitar um grupo de colaboradores do laboratório pernambucano, para que o mesmo possa auxiliar no adequado atendimento das eventuais urgências que possam por em risco a saúde de todos.

Ministrada pela enfermeira Mabel Aléxia Feitosa Ferraz, do Samu Recife, a aula teve foco nas ocorrências mais frequentes que demandam o atendimento de primeiros socorros: síndrome coronariana aguda, arritmia cardíaca e crise hipertensiva.

No fim da programação, no Lafepe, foi feita uma atividade prática de ressuscitação cardiopulmonar (RCP) com a utilização de desfibrilador externo automático (DEA).

Fonte: Comunicação Lafepe

Lafepe promove curso sobre “Termo de Referência”

Ministrado por instrutores do Centro de Formação dos Servidores e Empregados Públicos do Estado de Pernambuco (Cefospe), teve início, na tarde desta segunda-feira, dia 10, o curso sobre “Termo de Referência”, documento que tem como finalidade informar potenciais contratados sobre as especificações do serviço ou produto solicitado.

O primeiro módulo do curso vai até quarta-feira, dia 12. Já o segundo módulo será realizado no período de 17 a 19 de abril. As aulas estão sendo aplicadas pelo professor Petrônio Araújo Gonçalves, acompanhado do coordenador do Cefospe, Cristovam Ferreira.
Numa das salas do centro de treinamento do Lafepe, colaboradores de diversas áreas atualizam-se quanto à elaboração e análise do documento que precede a assinatura de um contrato. Quando o contrato é celebrado, os termos de referência se tornam parte integrante dele.



A capacitação ministrada pelo Cefospe é um programa customizado para atender às necessidades de treinamento do Lafepe. Dentro da programação, o próximo será o curso básico em licitações, no período de 24 a 28 de abril.


Tecpar apoia empresários que querem reinventar suas empresas


Empresários que desejam implantar novos processos em suas empresas podem contar com a consultoria do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) para promover melhorias em suas companhias. Especialistas do Setor de Informações Tecnológicas dão o apoio para que as empresas se reinventem e acessem a novos mercados.

Uma delas, que chegou até o Tecpar por indicação do Sebrae-PR, é a Join Transportes Inteligentes. A transportadora, localizada em um condomínio industrial da Cidade Industrial de Curitiba (CIC), participou de um programa do Sebrae-PR com o objetivo de se diferenciar no mercado. Ao final do programa, segundo Paulino Karam, diretor de negócios da empresa, a Join definiu um novo foco - certificar-se para o transporte e armazenamento de medicamentos, cosméticos e produtos para a saúde.

Para passar a atender clientes nestes segmentos, era necessário, porém, licenças da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Foi neste momento que os empresários chegaram até o Tecpar, lembra Karam. “Como é um processo burocrático e não tínhamos experiência nesta área, construímos, junto com o Tecpar, um plano de adequações para cumprir a legislação do setor de maneira mais efetiva”, pontua.

O processo durou cerca de um ano. Hoje, a empresa está apta para atender os clientes da área em conformidade com os requisitos do setor. “Montamos um plano de ação em conjunto para que a empresa tivesse em mãos o caminho necessário para fazer a adequação, fossem ela física ou regulatória”, explica Debora Colla, analista de Tecnologia e Inovação que acompanhou o atendimento.

O gerente do Setor de Informações Tecnológicas do Tecpar, Rogerio Oliveira, ressalta que o instituto tem diversos serviços e soluções tecnológicas que as empresas podem utilizar para melhorar seus processos internos e chegar a novos clientes. “Temos várias ferramentas que dão o apoio necessário aos empresários, com avaliações de processos e com informações relevantes para as melhorias buscadas”, salienta.

Empresários conhecer as soluções oferecidas pelo Tecpar no site www.tecpar.br.
Tecpar
O Tecpar é uma empresa pública do Governo do Estado que tem 76 anos de atividade. Os negócios do instituto são divididos em quatro grandes unidades: Soluções Tecnológicas, para dar apoio às empresas que buscam inovar; Empreendedorismo Tecnológico Inovador, com suas incubadoras tecnológicas e com os parques tecnológicos, como o Parque Tecnológico da Saúde; Educação, com qualificação para o mercado privado e ainda com desenvolvimento de capacitações para servidores municipais de prefeituras paranaenses; e Indústria Farmacêutica e Biotecnológica, com desenvolvimento e produção de kits diagnósticos veterinários, vacina antirrábica e produção de medicamentos de alto valor agregado para a saúde pública brasileira.

O instituto foi escolhido pelo Ministério da Saúde para ser um dos fornecedores oficiais de medicamentos biológicos que serão produzidos nos próximos anos.

Além disso, o Tecpar atende demandas do Governo do Estado – é executor de projetos na área de energias renováveis e empreendedorismo tecnológico.

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)

(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355

Pesquisadores da Funed desenvolvem projeto para remediação da Bacia do Rio Doce



Nos próximos quatro anos, a bacia do Rio Doce, completamente devastada pelo rompimento da barragem de uma mineradora na cidade de Mariana, em novembro de 2015, terá uma atenção maior da Funed e de outras grandes instituições onde serão feitos estudos e intervenções para sua remediação. A Fundação Ezequiel Dias teve um importante projeto aprovado, intitulado “Remediação da Bacia do Rio Doce: potencial da biota aquática e terrestre” aprovado. O projeto será executado pela Funed, através da pesquisadora Esther Margarida Bastos, diretora de pesquisa e desenvolvimento da Funed e sua equipe os pesquisadores Júlio César Brito e Marcos Paulo Mol, também da área de pesquisa e Mariem Rodrigues, da Diretoria do Instituto Octávio Magalhães; em parceria com Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal de Lavras (UFLA) e de Ouro Preto (UFOP) e Université du Québèc à Montréal.

O apoio e financiamento são da Agência Nacional de Águas (ANA), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Fundação de Administração e Pesquisa Econômico-Social (FAPES), Fundação e Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Em curto prazo, o projeto prioriza os estudos de estabelecimento de plantas e microrganismos aquáticos, capazes de acumular ou transformar os poluentes (elementos-traço e compostos orgânicos), da água e solo das áreas afetadas pelo rejeito de mineração. A tecnologia utilizada será a de biorremediação, processo pelo qual organismos vivos tais como, microrganismos, fungos, plantas, algas verdes ou suas enzimas são utilizados para reduzir ou remover/ remediar contaminações no ambiente. Utilizando processos biodegradáveis para tratamento de resíduos este processo é capaz de regenerar o equilíbrio do ecossistema original.

Assessoria de Comunicação Social
(31) 3314-4577

Lafepe tem programação especial no Dia Mundial da Saúde



            Os colaboradores do laboratório pernambucano iniciaram esta sexta-feira (07-04) participando de um aulão de ginástica laboral conduzido por instrutor do Sesi, na área de acesso às fábricas. Depois eles seguiram para o centro de treinamento onde compartilharam um delicioso buffet de frutas e se dividiram entre os serviços oferecidos pela equipe de enfermagem e nutricionistas do ambulatório, além da roda de diálogo sobre Saúde Mental coordenada por outras duas profissionais da Casa: a psicóloga, Renata Coutinho, e a assistente social, Fabíola Laporte.

            O assunto escolhido para debate com a equipe do Lafepe segue a proposta da Organização Mundial de Saúde que, este ano, adotou como tema a depressão. A OMS alerta que, no mundo, mais de 300 milhões de pessoas, de todas as idades, sofrem com a doença. No Brasil, a organização estima cerca de 11 milhões de casos; sendo o maior índice na América Latina e o segundo maior nas Américas, atrás apenas dos Estados Unidos. A OMS destaca que para a depressão há tratamento, sendo o primeiro passo a disposição de conversar sobre o assunto.







Fonte: Comunicação Lafepe

Alunos da rede pública em triagem para doação de óculos Lafepe


              
                Estudantes de sete escolas do entorno do Compaz, no Alto Santa Terezinha, no Recife, estão sendo contemplados pelo Projeto Visão do Futuro, que tem como foco garantir consultas oftalmológicas e óculos de grau para os que precisarem. O projeto conta com o aporte financeiro da Fundação Itaú Social, tendo como parceiros o Lafepe, as secretarias de Saúde e Educação da rede estadual e do Recife, além dos profissionais da Fundação Altino Ventura. Na etapa atual, do universo de 3.500 estudantes, aqueles identificados pelos professores com suspeita de problemas na visão estão sendo tecnicamente avaliados, na própria unidade de ensino. Essa análise acontece com o uso da escala optométrica: um diagrama utilizado para avaliar a acuidade visual.
            Uma das escolas incluídas na triagem é a Rosa de Magalhães, da rede estadual. Lá encontramos a adolescente Débora Vitória, de 12 anos. Ela usa óculos desde os quatro. A professora de Biologia, Giane Soares de Souza, identificou na triagem que o grau de Débora precisa ser revisto. Já na Escola Municipal Alto Santa Terezinha, o pequeno Adams, de 8 anos, durante a avaliação apresentou dificuldades na visão do olho esquerdo. Ele reclamou das letras embaçadas e disse sentir, frequentemente, dores de cabeça. Para os gestores e professores que participam da triagem, a iniciativa é relevante no resgate da assiduidade, concentração e bom desenvolvimento escolar dos alunos com problemas de visão.
            Após a etapa de triagem, os estudantes serão direcionados para o mutirão de atendimento no Compaz do Alto Santa Terezinha, agendado para o fim de maio. Profissionais da Fundação Altino Ventura ficarão responsáveis pelas consultas. Os alunos que precisarem usar óculos vão contar com estrutura do Lafepe para escolher as armações e tirar as medidas necessárias à produção das lentes. 

            O projeto Visão do Futuro está na segunda fase do cronograma de execução. A primeira atividade foi a capacitação dos professores escolhidos para triar os alunos nas escolas. A entrega dos óculos está prevista para acontecer um mês após os atendimentos oftalmológicos no Compaz, ou seja, no fim de junho.

                       
Fonte: comunicação Lafepe

Cônsul-geral quer fortalecer relacionamento entre Israel e o Tecpar


O cônsul-geral de Israel em São Paulo, Dori Goren, reuniu-se na noite de quarta-feira (5) com o diretor-presidente do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), Júlio C. Felix. O cônsul, que antes de ir ao Tecpar já havia se encontrado com o governador Beto Richa, afirmou que vai dar apoio às negociações entre o instituto e as empresas israelenses.
“O Paraná é um estado muito organizado e eficiente. Quero dedicar meus esforços para fortalecer o relacionamento com Israel”, disse Goren.

Em viagem oficial do Ministério da Saúde a Israel no final de março, Felix participou de reuniões bilaterais com empresas de tecnologia na área da saúde. Estava também na reunião com o cônsul o diretor de Biotecnologia Industrial, Julio Salomão.
Felix conheceu empresas para buscar intensificar a cooperação no desenvolvimento de tecnologias e produtos de saúde. Das oito empresas visitadas, com pelo menos três as negociações avançaram rapidamente – com uma delas, o Tecpar já assinou memorando de entendimentos e acordo de confidencialidade e agora as duas empresas começam a desenvolver projetos para submeter ao Ministério da Saúde.

“A visita a Israel foi muito frutífera e as negociações avançaram rapidamente. Cerca de dez dias depois da minha ida ao Oriente Médio, uma das empresas já enviou executivos para debatermos o avanço das negociações. Agora estamos elaborando projetos para fornecermos juntos medicamentos para o Sistema Único de Saúde”, diz Felix.

Oriente Médio
No fim de março, o Tecpar integrou a comitiva do Ministério da Saúde que esteve em missão ao Oriente Médio para visita oficial a Israel e à Palestina. A missão buscou estreitar as relações na área de saúde, além de fomentar a troca de experiências para intensificar a cooperação na atenção à saúde e no desenvolvimento de tecnologias e produtos de saúde.

Júlio C. Felix e o ministro da Saúde, Ricardo Barros, visitaram instituições de excelência na área da saúde e empresas e startups da área de tecnologia, que apresentaram inovações desenvolvidas no campo da saúde que podem vir a ser utilizadas no Brasil como plataformas tecnológicas na produção de medicamentos e equipamentos.




Tecpar sedia workshop sobre atuação de institutos tecnológicos


Representantes da área de ciência e tecnologia debateram nesta quarta-feira (5), no Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), os caminhos para a atuação dos institutos tecnológicos, sobretudo os públicos. No atual cenário, os especialistas apontam que as instituições precisam se reinventar para continuarem a serem grandes atores para o desenvolvimento tecnológico do país.

O workshop “A atuação sustentável dos institutos de pesquisa face aos novos modelos de desenvolvimento tecnológico e inovação” reuniu representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e do governo paranaense, além da comunidade científica e tecnológica nacional, para avaliar a atuação dos institutos em um cenário caracterizado pela escassez de recursos e de novas formas da Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), parcerias estratégicas, startups, indústria 4.0 e inovação aberta, entre outros.

O diretor-presidente do Tecpar e presidente da Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (Abipti), Julio Félix, que mediou uma das mesas redondas, destaca que uma das principais saídas para as organizações é aprimorar a sua gestão. “Os altos dirigentes das instituições de ciência e tecnologia, em especial as públicas, precisam trilhar caminhos para o seu desenvolvimento, tendo em vista o cenário de escassez de recursos”, afirma.

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes, ressalta que nenhum país se desenvolve sem investimentos em educação e na ciência e tecnologia. “O nosso desafio na vida pública é trabalhar para que sejam criadas políticas voltadas a essa área, com foco em inovação”, pontua.

Para Paulo Brofman, presidente da Fundação Araucária, o investimento em Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) traz resultados benéficos a toda sociedade. “Quando investimos em ciência e tecnologia com foco na inovação, os segmentos da saúde e educação ganham, com novos produtos e processos à disposição da população”, salienta.
Jorge Mário Campagnolo, diretor do Departamento de Políticas e Programas de Apoio à Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), que ministrou a palestra magna sobre as novas formas de organização de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), avalia que os institutos de ciência e tecnologia brasileiros são os grande atores para o desenvolvimento tecnológico. “Por essa razão, temos que fortalecê-los, com políticas de Estado para essa área, que precisa de investimentos contínuos”, ressalta.


O evento, promovido pelo Tecpar e a Abipti, contou com a presença de representantes do MCTIC e do governo paranaense, além da comunidade científica e tecnológica nacional.







Equipe da Hemobrás visita o Lafepe



Profissionais das áreas de produção e manutenção da Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás) estiveram na sede do Lafepe, em Dois Irmãos, na manhã da quarta-feira, dia 05. Eles vieram em busca das experiências exitosas do laboratório pernambucano.
Na obtenção de informação, o grupo conheceu a dinâmica de funcionamento da Divisão de Sólidos; do Controle de Qualidade; da Divisão de Almoxarifados; da Divisão de Logística; da Coordenadoria de Boas Práticas de Fabricação; 
e da Coordenadoria de Engenharia, Manutenção e Obras.
A Hemobrás é uma empresa pública que tem como missão pesquisar, desenvolver e produzir hemoderivados, medicamentos biotecnológicos e reagentes, com excelência, responsabilidade socioambiental e satisfação de seus profissionais e clientes, para atender prioritariamente o Sistema Único de Saúde (SUS).         

Parceria abre oportunidades para capacitar servidores municipais em diversos cursos


Protocolo de Intenções entre o Paranacidade e o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) foi assinado nesta terça-feira (04), em Curitiba, para capacitar servidores públicos dos 399 municípios do Paraná.

O secretário estadual do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Junior, destacou a parceria ao afirmar que um dos grandes problemas do País é a falta de capacitação, de qualificação profissional e de gestão pública. “Este documento representa um projeto construído a quatro mãos em favor do desenvolvimento do Paraná, para uma gestão pública mais moderna”, disse.

Para o secretário estadual de Ciência, Tecnologia, e Ensino Superior, João Carlos Gomes, a qualificação do pessoal técnico é imprescindível. “Hoje, temos 400 servidores públicos concursados fazendo pós-graduação em diferentes áreas”, destacou.

O presidente do Tecpar, Júlio Cesar Felix, ressaltou um fato que ocorre no Paraná. “Há prefeitos idôneos, sem qualquer comprometimento com ilegalidades e, no entanto, são barrados por erros de capacitação. É contra isso que apostamos neste projeto conjunto”, ressaltou.

O superintendente executivo do Paranacidade, Wilson Lipski, lembrou que foram abertas 2.500 vagas, com custos baixos, mas até o fim deste ano serão capacitados milhares de profissionais e gestores públicos para assegurarem melhores serviços à população, pois o número de vagas é ilimitado, uma vez que a capacitação é feita à distância, via Internet.

Atribuições
Entre as cláusulas do documento está a de criar condições de natureza legal, administrativa e financeira para a consecução dos objetivos; indicar representantes, titulares e suplentes, para desenvolver as atividades; promover o apoio técnico necessário para a realização dos objetivos; disponibilizar estudos, arquivos e outros documentos considerados tecnicamente uteis para dar o suporte necessário; promover e divulgar as atividades desenvolvidas e os resultados obtidos mencionando nominal e expressamente a participação das demais entidades signatárias.

Caberá ainda, segundo o documento, ao Paranacidade dar as credenciais de acesso e porta-documentos do Programa Tecpar Educação EaD aos prefeitos do Paraná. O termo terá vigência de 12 meses, mas poderá ser prorrogado.

Capacita Paraná EaD
Para a concretização do Protocolo foi criado o Programa de Capacitação de Servidores Municipais, o “Capacita Paraná EaD”, que começa suas atividades no próximo dia 2 de maio, com capacitação à distância. Do programa consta a oferta de cursos em diversas áreas de administração, planejamento, auditoria, contabilidade, licitações e contrato, gestão de pessoas e na área jurídica. Cada curso tem duração de 20 horas, deve ser acessado totalmente pela internet, em qualquer horário, e deve ser concluído em até 40 dias.

Para um melhor aproveitamento e para que os servidores consigam fazer mais de um curso, o Capacita Paraná EaD será dividido em diversas fases, que se estenderão por, pelo menos, cinco meses.

Cursos
Nesta fase, são ofertados 15 cursos: Auditoria Pública; Burocracia e Gestão da Política Pública no Brasil; Contabilidade Pública; Elaboração de Atos Normativos; Elaboração de Relatório e Parecer; Ética na Administração Pública; Gestão de Contratos Públicos; Gestão Estratégica de Pessoas no Setor Público; Interpretação e Produção de Texto; Licitação, Contratos e Convênios; Planejamento, Orçamento Público e Lei de Responsabilidade Fiscal; Português com Ênfase no Acordo Ortográfico; Qualidade no Atendimento ao Público e Redação Oficial.

As inscrições nesta primeira fase podem ser feitas até 13 de abril, por meio do site prefeituras.tecpareducacao.com.br , na aba “Cursos”, preenchendo o formulário de matrícula, ou através do telefone (41) 3576 1923.

O custo unitário dos cursos, por inscrição, é de R$ 159,00, porém os valores podem baixar de acordo com a quantidade de interessados por município. De 01 até 50 inscrições, o valor é de R$ 159,00; de 51 até 150 inscrições, R$ 149,00; de 151 até 250, R$ 139,00; de 251 até 500, R$ 129,00 e acima de 501, o valor é sob consulta.

Presenças

Estavam presentes na solenidade o diretor-geral da SEDU, João Carlos Ortega; do Paranacidade, os diretores administrativo e de finanças, Claudio Stabile; o de Operações, Alvaro Cabrini; o coordenador de Projetos, o economista Jerônimo Meira; o analista de Desenvolvimento Municipal, geógrafo, Carlos Storer; ainda, o diretor de Desenvolvimento Tecnológico do Tecpar, Reginaldo Joaquim de Souza; a gerente do Tecpar Educação, Ana Cristina Francisco; o presidente Paraná Metrologia, Celso Kloss; o deputado estadual Cobra Repórter; os prefeitos de Arapongas, Sérgio Onofre da Silva; de Ivaiporã, Miguel Roberto do Amaral; e o de Novo Itacolomi, Moacir Andreolla.

Lafepe, DNDI e Copa do Nordeste no combate ao Mal de Chagas



            Único laboratório público no mundo a produzir o Benznidazol – medicamento usado no tratamento do Mal de Chagas –, o Lafepe se integra à campanha que a Drugs for Neglected Diseases Initiative (DNDi) promove durante a Copa Nordeste. A cada gol marcado nos jogos do campeonato, organizadores e parceiros farão uma doação para a DNDi investir em pesquisas sobre a doença de Chagas que, no Brasil, afeta mais de 1,2 milhão de pessoas, sendo bastante comum na região Nordeste.

            Em entrevista à equipe do canal Esporte Interativo, o diretor comercial do Lafepe, o farmacêutico Djalma Dantas, destacou a importância do Benznidazol no tratamento da doença de Chagas. O medicamento é apontado por profissionais da área de saúde como muito eficaz.

“Temos matéria-prima suficiente para produzir 2 milhões e 400 mil comprimidos de Benznidazol, num período de dois anos”, disse Djalma. Ele ressaltou, ainda, que o medicamento é fornecido exclusivamente para o Ministério da Saúde e instituições humanitárias internacionais responsáveis pela distribuição junto à população.

A reportagem com dados da produção do Benznidazol irá ao ar na programação do canal Esporte Interativo, ao longo da Copa Nordeste. “Para a DNDi é uma oportunidade única a parceria com um campeonato que tem audiência não só regional como também nacional, com a qual podemos compartilhar nossa causa em prol dos pacientes negligenciados”, celebrou o diretor executivo da DNDi América Latina, Joel Keravec.

Ele lembra que, na Copa do Nordeste, 20 clubes estão em campo para lutar pela taça e marcar gols contra o Mal de Chagas. "A doença é uma das enfermidades mais negligenciadas do mundo. Milhões de pacientes seguem ignorados e muitos morrem por falta de acesso ao tratamento", lembrou a diretora médica da DNDi, Carolina Batista.

Causado pelo parasita Trypanosoma cruzi, o Mal de Chagas tem a fase inicial aguda, com duração de cerca de dois meses. A fase crônica e tardia, dura por toda a vida, na qual até 30% dos pacientes sofrem danos ao coração com risco de morte e até 10% sofrem danos severos ao sistema digestivo.

No mundo, a doença de Chagas infecta cerca de 6 milhões de pessoas, sendo a maioria na América Latina, onde é endêmica em 21 países. Crescem também os casos diagnosticados da doença na América do Norte, Europa, Japão e Austrália. O parasita de Chagas pode ser transmitido pela picada do barbeiro infectado, transfusões de sangue, de mãe para filho ou de forma oral. O diagnóstico, na fase aguda, é feito por meio de um exame de sangue e o tratamento é gratuito na rede pública de saúde.


Com dados da DNDi


Fonte: Acessoria de comunicação Lafepe

Especialistas discutem atuação de institutos tecnológicos em workshop no Tecpar


Especialistas no campo de ciência e tecnologia debatem nesta quarta-feira (5), no Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), quais são os caminhos para a atuação dos institutos tecnológicos, sobretudo os públicos, em um cenário caracterizado pela escassez de recursos e de novas formas da Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I), parcerias estratégicas, startups, indústria 4.0 e inovação aberta, entre outros. O evento é gratuito e está com inscrições abertas.

Intitulado “A atuação sustentável dos institutos de pesquisa face aos novos modelos de desenvolvimento tecnológico e inovação”, o workshop promovido pelo Tecpar e a Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (Abipti), contará com a presença de representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e do governo paranaense, além da comunidade científica e tecnológica nacional.

Haverá também uma palestra magna sobre as novas formas de organização da PD&I. A programação conta ainda com três mesas de debates que abordarão os recentes modelos de atuação dos institutos tecnológicos face aos desafios; o modelo de financiamento à PD&I; e os avanços e retrocessos do Marco Legal da Inovação. O diretor-presidente do Tecpar e presidente da Abipti, Julio Félix, media uma das mesas redondas e encerra o evento.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site abipti.org.br/workshop. Mais informações pelos telefones da Abipti, (61) 3348-3109 e (61) 3348-3127, e do Tecpar, (41) 3316-3142.

Serviço
Workshop “A atuação sustentável dos institutos de pesquisa face aos novos modelos de desenvolvimento tecnológico e inovação”
Data: 05/04
Horário: das 8h às 17h
Investimento: gratuito
Local: Câmpus CIC do Tecpar (Rua Algacyr Munhoz Mader, 3775 – Cidade Industrial de Curitiba)
Inscrições: Pelo site abipti.org.br/workshop
Informações: Abipti (61) 3348-3109 e (61) 3348-3127; Tecpar (41) 3316-3142

Assessoria de Comunicação
Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar)
(41) 3316-3007 / (41) 2104-3355